Compartilhar Inscreva-se
A saúde da sua clínica também precisa de cuidados!
  • Diminua 50% as faltas dos pacientes.
  • Economize 40% no tempo de suas secretárias.
  • Facilite 100% seu dia.
Gostou desse conteúdo?

Junte-se a nossa lista de 10.500 profissionais da saúde e receba em primeira mão conteúdos exclusivos, eBooks e dicas de gestão.

Agora estamos prontos para ajudar você!

Você receberá todos os nossos conteúdos, dicas e ferramentas exclusivas.

Confira dicas práticas sobre como definir o preço da consulta

Confira dicas práticas sobre como definir o preço da consulta

Depois de longos anos investindo nos estudos e no trabalho, chega a hora aguardada por muitos médicos: montar a própria clínica ou consultório. Nesse momento, alguns desafios estão presentes e um deles é lidar com o setor financeiro. Nesse caso, se a sua clínica for pequena, pode ser mais simples (mas nem sempre fácil) lidar com o fator financeiro. Já se o seu consultório envolver repasse médico a vários profissionais, o sistema pode ser um pouco mais complexo.

E entre as dúvidas que surgem nesse momento, independentemente do tamanho da clínica, está a famosa: como definir o preço da consulta? Isso requer a análise de diversos fatores relacionados com o mercado econômico e com o próprio empreendimento. Pensando nisso, levantamos uma série de dicas que vão auxiliar na definição realista e lucrativa do preço ideal para cobrar em uma consulta. Confira!

Analise a concorrência

Antes de olhar para o próprio negócio, é importante considerar os demais estabelecimentos envolvidos no mercado. Fazer uma análise da concorrência representa, então, o primeiro passo para estimar o valor a ser cobrado.

Para isso, não deixe de considerar os serviços oferecidos pelos demais locais, bem como o preço cobrado por cada um deles. Essa medida é importante para que seu negócio seja competitivo, não estando aquém ou além do que é cobrado por serviços semelhantes.

Valorize seus diferenciais

Depois de olhar para os demais empreendimentos, chega o momento de olhar para a sua clínica e, principalmente, para suas especificidades e seus diferenciais. A princípio, analise os aspectos físicos, como localização e estrutura do local.

Depois disso, considere os processos envolvidos, ou seja, os serviços que serão oferecidos. Veja o seguinte exemplo: imagine que, em sua clínica, sejam realizados diversos procedimentos rotineiros, mas que um deles não é feito por nenhum outro local na cidade. Portanto, você já sabe para quais determinar um valor competitivo e qual valorizar pelo serviço, certo?

Além do âmbito físico e de processos, não se esqueça de reconhecer a capacitação e os diferenciais dos profissionais que farão parte da equipe de colaboradores.

Considere os custos mensais

Agora, a visão é estritamente voltada para o aspecto financeiro: chegou a hora de fazer um levantamento dos custos da clínica. Afinal, não dá para precificar, sem, antes, calcular, não é mesmo? Portanto, coloque na ponta do lápis todos os custos que você tem.

Primeiro, considere os custos fixos, como aluguel do imóvel e dos equipamentos, condomínio, repasse médico, sistema de gestão etc. Depois disso, faça uma estimativa dos custos variáveis. Isso inclui os produtos e equipamentos que devem ser comprados periodicamente, bem como as contas mensais, por exemplo, de água, energia, telefone, internet, dentre outras variáveis.

Calcule também os custos médios por cada paciente; todas as entradas e saídas de dinheiro, reformas e investimentos na estrutura; treinamento aos profissionais e outros. É importante que essa estimativa seja realista a fim de não supervalorizar ou deixar o preço em uma margem muito inferior ao que realmente é necessário, visto que todos esses fatores impactam a lucratividade.

Defina a meta de lucro

Falando em lucro, esse aspecto também não deve ser esquecido. Após considerar os fatores mencionados, é preciso saber quais são suas expectativas, refletidas no quanto você quer lucrar com o empreendimento. A resposta para isso é pessoal e também exige bom senso, com o mesmo intuito visto previamente de manter seu negócio dentro dos padrões de realidade encontrados no mercado.

Acompanhe de perto a sua análise SWOT

Entre os aspectos que devem ser observados ao decidir o valor da suas consultas, está a análise SWOT. Muitos profissionais fazem o seu planejamento estratégico ao montar a clínica e esquecem que ele deve ser constantemente revisado, seguido e, se preciso, alterado. E a análise SWOT é um ótimo ponto para ser analisado no momento de definir seu preço, afinal, é lá que se encontram os pontos fortes e fracos do seu negócio, tanto internos quanto externos.

Nas suas forças, você pode verificar, por exemplo, a qualidade do seu atendimento, desde o momento em que o cliente liga para agendar uma consulta, passando pelo número de dias que ele leva para conseguir, considerando a infraestrutura e a localização da clínica, até a tecnologia empregada para isso.

Olhe também para as fraquezas do seu consultório e identifique o quanto elas influenciam a alteração do valor da sua consulta. Por exemplo, a partir do momento em que seus pacientes chegam à clínica, o que eles encontram? O atendimento é rápido? A sala de espera é confortável? Os equipamentos utilizados no atendimento ao paciente estão ultrapassados?

Nas oportunidades e ameaças, considere tudo aquilo que é externo à sua clínica, mas que tem influência direta sobre ela. Se você pretende cobrar mais do que seus concorrentes, por exemplo, deve oferecer o que eles não oferecem, deve se destacar. Já se eles oferecem mais benefícios do que você, é preciso pensar em formas de se diferenciar.

Todos esses fatores devem ser levados em conta na precificação, para que a sua clínica seja coerente aos olhos dos clientes e encontre o equilíbrio entre lucro, repasse aos médicos e controle de entradas e saídas.

Avalie o público-alvo e a localização

Além de todos os outros fatores já mencionados, definir um preço para as consultas só faz sentido se olharmos para o público-alvo da sua clínica. Não adianta colocar um valor muito elevado se o seu consultório se localiza em uma cidade pequena ou em um bairro de classe média, por exemplo. Por isso, convém fazer um mapeamento do seu público, da média salarial e do quanto ele está disposto a pagar.

Aqui, convém fazer um parêntese do que falamos acima sobre olhar para a sua concorrência. Tenha em mente que você deve fazer essa análise com base em clínicas que atendem ao mesmo público-alvo que você. Caso contrário, a sua análise pode não fazer sentido para o seu estabelecimento.

E então, já sabe como precificar as suas consultas? Definir o preço realmente exige uma análise econômica e de mercado crucial para colocar sua clínica em um patamar ideal de competição com os demais empreendimentos. Você se perdeu no meio de tantas informações? Então, não deixe de conhecer a nossa solução para clínicas médicas.

Nosso software concentra informações importantes sobre estoque, consultas e demais custos, viabilizando uma melhor gestão financeira para o seu negócio. Essa é uma ótima forma de se diferenciar da sua concorrência e oferecer o melhor aos seus pacientes, não é mesmo?

Este post que trata sobre o repasse médico e a melhor forma de definir o preço das consultas foi útil? Que tal conhecer o Clínica nas Nuvens? Entre em contato com a gente e veja agora mesmo como esse software pode ajudar a alavancar sua clínica!

Você também pode gostar desses conteúdos:

Compartilhe
André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto

Ajudo a facilitar a rotina de nossos clientes, gerenciando o time que trabalha constantemente para simplificar a gestão de clínicas, consultórios e centros médicos pelo Brasil.