Compartilhar Inscreva-se

Receba dicas para o seu negócio lucrar mais

Agora estamos prontos para ajudar você!

Você receberá todos os nossos conteúdos, dicas e ferramentas exclusivas.

Aprenda como calcular honorários médicos pela CBHPM

Aprenda como calcular honorários médicos pela CBHPM

Para valorizar ainda mais o trabalho médico no campo da saúde suplementar, criou-se a Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM), que lista procedimentos e que considera todas as especialidades, além de definir um padrão mínimo para os honorários da atividade profissional.

É interessante lembrar que os valores pagos aos médicos das operadoras de planos de saúde são baseados em tabelas próprias ou em antigas edições da AMB (Associação Médica Brasileira), e que hoje não são mais vigentes, sendo bem inferiores aos honorários definidos pela CBHPM atualizada.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), responsável pela regulamentação dos planos de saúde, passou a usar a CBHPM como critério para atualizar o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, fazendo a lista dos procedimentos que devem ser cobertos pelas operadoras. Por isso, neste artigo vamos ajudar você a entender como calcular honorários médicos pela CBHPM. Confira a seguir!

Entenda o que é a Classificação de Procedimentos Médicos (CBHPM)

A Classificação de Procedimentos Médicos — CBHPM representa um referencial para a cobrança de honorários médicos. Sua elaboração é feita pela Associação Médica Brasileira e sociedades de especialidades médicas, dentre outras entidades da área, visando cobrir a defasagem dos valores praticados pelo SUS — Sistema Único de Saúde e as operadoras de planos de saúde, que sempre pagaram aos médicos valores muito abaixo do mercado.

Por isso, usada como referência na hora de calcular os honorários, a CBHPM conta com transparência e respaldo de instituições sérias, que amparam a prática da Medicina no Brasil. Hoje ela é reconhecida pela grande maioria das operadoras do setor de saúde, a começar pela ANS — Agência Nacional de Saúde.

Descubra mais sobre a importância da CBHPM

Engana-se quem pensa que a CBHPM é relevante apenas para os médicos. Os pacientes também podem se beneficiar bastante dela! Afinal, os profissionais garantem valores razoáveis para seu trabalho, e os pacientes podem contar com uma oscilação menor de valores, maior segurança e médicos aperfeiçoados em sua atuação nos sistemas públicos e planos de saúde.

Além disso, fica mais fácil realizar auditorias e o controle dos custos, um grande desafio para os administradores. Assim, se a remuneração é padronizada, torna-se mais simples detectar furos, excessos e ainda elaborar planejamentos e projeções mais acertadas para o futuro.

Para a população em geral, ainda há o bônus de poder consultar se a conduta médica é realmente reconhecida, validada e recomendada pelos órgãos responsáveis, o que contribui para melhorar a experiência dos usuários.

Saiba mais sobre o surgimento do manual da CBHPM

Em uma pesquisa efetuada pela SOGESP envolvendo 1.911 médicos, quase 70% dos participantes revelaram que não têm conhecimentos sobre como usar a CHBPM para calcular os honorários. Por isso, a SOGESP criou um manual com a finalidade de orientar os especialistas em relação ao funcionamento da remuneração na saúde suplementar, envolvendo os procedimentos e as diretrizes da ANS, bem como os parâmetros definidos pela CHBPM.

manual considera a última edição de 2019. Ainda, ele deve ser usado como referência e os honorários atuais constarão na versão online, disponibilizada na área do associado sempre que acontecerem modificações.

Descubra como calcular honorários médicos pela CBHPM

A CBHPM — Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos define faixas de valorização dos atos médicos conforme seus portes. Portanto, o primeiro passo é encontrar o procedimento que você deseja consultar. A lista não indica valores monetários, e sim os procedimentos, que são divididos em 14 portes, agrupados em três subportes: A, B e C.

A divisão segue alguns parâmetros:

  • a complexidade técnica;
  • tempo de execução;
  • a atenção requerida;
  • o grau de treinamento necessário para capacitar o profissional responsável pela execução.

Vale observar que o cálculo da CBHPM leva em consideração alguns parâmetros, quais sejam:

  • os valores dos aportes;
  • o que é efetivamente pago ao profissional de saúde;
  • o valor da unidade de custo operacional (UCO), que remunera os aluguéis, os equipamentos;
  • a folha de pagamento.

Em toda a tabela, existem regras para cada situação. Você precisa ainda considerar o custo operacional. Ele é indicado por um valor que deve ser multiplicado pela Unidade de Custo Operacional — UCO, que hoje vale R$ 20,47. Assim, se o procedimento tem um UCO de 0,300, isso quer dizer que em unidade monetária nacional, ou seja, em reais, esse valor é de R$ 6,141, por exemplo.

Com uma leitura mais apurada e um conhecimento mais profundo, pode-se efetivar o cálculo com propriedade e rapidamente. A fórmula para calcular honorários médicos pela CBHPM é bem simples:

Porte do procedimento + custo operacional (quando houver previsão) = valor total.

Os valores dos portes e da UCO têm reajuste conforme o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que é medido pelo IBGE para compensar as defasagens resultantes da inflação. O novo valor de referência para o UCO é de R$ 20,47.

Confira as vantagens do cálculo pela CBHPM — Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos

A classificação hierarquizada exibe muitos pontos positivos além dos que já citamos ao longo deste conteúdo. Entre os benefícios podemos citar:

  1. a preservação da qualidade no atendimento médico, pois com valores justos, mais profissionais se sentirão motivados a aderir aos planos e ao SUS;
  2. a transparência na conduta dos profissionais da área médica, já que é possível consultar e conferir os procedimentos nos órgãos regulamentadores;
  3. a padronização das cobranças; o que facilita também auditorias e um maior controle pelos administradores;
  4. a remuneração justa para os procedimentos; beneficiando tanto clientes quanto profissionais;
  5. o valor unificado das cobranças;
  6. o uso de ferramentas atuais para conquistar a remuneração adequada das operadoras.

De modo geral, a CBHPM não oferece nenhuma desvantagem, já que, com a padronização, fica mais fácil para o profissional cobrar seus honorários e os pacientes não se sentirão explorados, nem terão que fazer muitas buscas para encontrar preços mais acessíveis. A única limitação é que se trata de uma tabela destinada exclusivamente para médicos, ou seja, nenhum outro profissional pode se basear nela para definir seus honorários.

A boa notícia é que a tendência é que essa tabela da CBHPM — Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos se torne cada vez mais usada e compreendida pelos médicos e entidades de saúde. Com isso, todos saem ganhando. Uma dica para quem tem dificuldade em realizar os cálculos é contratar um software específico para isso. Assim, vai ser bem mais fácil entender se os valores praticados estão de acordo com a referência.

Agora você já compreende melhor sobre como calcular honorários médicos pela CBHPM e a importância desse procedimento para administradores de operadoras de planos de saúde e médicos conveniados.

O que você achou das informações que trouxemos neste post? Já conhecia ou fazia uso da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos? Conte para a gente, nos comentários, as suas experiências com a CBHPM!

Compartilhe
André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto

Ajudo a facilitar a rotina de nossos clientes, gerenciando o time que trabalha constantemente para simplificar a gestão de clínicas, consultórios e centros médicos pelo Brasil.