Conheça os riscos ocupacionais na área da saúde

Conheça os riscos ocupacionais na área da saúde

Ao pesquisar sobre os riscos ocupacionais na área da saúde, antes, é preciso compreender que esses perigos são amplos e dizem respeito a todos os profissionais, em qualquer ambiente de trabalho.

Neste conteúdo, vamos explicar o que são os riscos ocupacionais na área da saúde, qual é a classificação dos principais tipos e outros detalhes importantes. Fique por dentro!

Entenda o que são os riscos ocupacionais 

Antes de mais nada, é importante compreender que, independente do ambiente de atuação, os perigos que os trabalhadores podem correr na função são denominados riscos ocupacionais na área da saúde ou da engenharia.  

Essa questão é de suma importância, pois, segundo um estudo do Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho, desenvolvido pela Secretaria Especial do Trabalho, só no Brasil, há um acidente de trabalho a cada 49 segundos.

Isso demonstra a relevância de encontrar formas para minimizar os perigos que os trabalhadores correm no dia a dia. Nesse sentido, é importante que as empresas sigam normas e regulamentações, como NR-7, NR-9 e NR-12.

Essas normas regulamentadoras trazem uma série de precauções para garantir a segurança dos profissionais por ações de prevenção e protocolos, que devem ser tomados no caso de alguma exposição aos fatores de risco.

Gerenciamento em centro cirúrgico

Classificação dos riscos ocupacionais na área da saúde 

As normas regulamentadoras trazem uma classificação contendo os riscos ocupacionais que podem prejudicar a saúde dos trabalhadores. Eles são divididos em categorias. Veja a lista! 

Riscos físicos

Os riscos físicos estão descritos na norma regulamentadora NR-15 e incluem, por exemplo, ruídos, vibração, radiação, temperatura extrema, pressão fora do normal, umidade, problemas na iluminação, sinalização deficiente e espaço físico inadequado. 

Riscos químicos

Os riscos químicos envolvem questões como vapores de anestesia, gases tóxicos, poeira e antissépticos. Uma maneira de minimizar esses problemas é tendo em mãos equipamentos de proteção individual (EPIs), treinamento e boas orientações.

Riscos biológicos 

No grupo dos riscos biológicos, entram: protozoários, fungos, vírus, bactérias e materiais contagiosos. Aqui, os EPIs também entram em cena, além do descarte correto dos materiais.

Saiba mais sobre biossegurança e como garantir segurança às pessoas no dia a dia clínico.

Riscos ergonômicos 

Riscos ergonômicos dizem respeito à maneira como a pessoa executa a função, envolvendo questões físicas e fisiológicas do profissional. É preciso orientação e protocolos para trabalhar reduzindo o esforço e melhorando a postura.

Saiba mais sobre a importância da ergonomia no ambiente de trabalho.

Riscos de acidentes

Os riscos de acidente ou riscos mecânicos compreendem situações como problemas de iluminação, piso molhado e escorregadio, perigo de incêndio, máquinas com defeito, risco de choque e trabalho em lugares altos. Nesse ponto, é preciso manutenção constante dos equipamentos, sinalização e boas ferramentas. 

Riscos psicossociais

Os riscos ocupacionais na área da saúde, ligados ao psicológico dos trabalhadores, dizem respeito à jornada muito exaustiva de trabalho, à pressão excessiva por produtividade, à sobrecarga mental, ao ambiente complicado quanto à convivência, com relacionamentos conflituosos e repetitividade nas tarefas diárias.

Aproveite e leia também: Yoga: prática recomendada para médicos e pacientes.

Os riscos psicossociais podem ser prevenidos com mediações de conflitos por parte das lideranças na clínica, no consultório ou no hospital. É importante que os profissionais tenham mais tempo para diminuir o ritmo, contando com um ambiente saudável, amistoso e com colegas que construam uma boa relação.

Sobre o mapa de risco ocupacional na área da saúde

Em clínicas ou hospitais, é importante ter o mapa de risco. É uma espécie de planta arquitetônica do ambiente, onde são inseridos, por meio de gráficos coloridos, os locais que contêm algum tipo de risco ocupacional. O objetivo é aumentar a segurança dos profissionais e dos pacientes.

Para criar o mapa, é preciso um planejamento em relação ao ambiente da clínica ou do hospital. Assim, fica mais tranquilo identificar os riscos principais e as ameaças que possam estar presentes no espaço.

A elaboração desse mapa indica que o ambiente de trabalho está pronto para qualquer emergência. Assim, mesmo passando por algum evento de crise, a clínica consegue contornar a situação sem gerar um estrago gigantesco do ponto de vista humano, estrutural e financeiro.

Conheça a classificação dos riscos definidos por cor

Para criar o mapa de risco, é preciso que o administrador do ambiente traga cada categoria em uma cor delimitada. A função disso é facilitar o entendimento dos locais e dos tipos de risco para a equipe e os pacientes. 

Conheça as cores utilizadas nos cinco principais riscos ocupacionais: físicos, químicos, biológicos, ergonômicos e riscos de acidentes. Eles são classificados da seguinte forma:

  • riscos ocupacionais físicos: verde;
  • riscos ocupacionais químicos: vermelho;
  • riscos ocupacionais biológicos: marrom;
  • riscos ocupacionais ergonômicos: amarelo;
  • risco ocupacionais de acidentes: azul.

A tecnologia a serviço dos riscos ocupacionais

Uma das coisas mais interessantes quando o assunto é riscos ocupacionais na área da saúde é a utilização de consultas e laudos à distância. Nesse sentido, uma ferramenta que tem se destacado é a telemedicina.

Ela ajuda e simplifica o dia a dia na clínica, possibilitando até a visualização de exames. O paciente e o médico podem interagir com qualidade no atendimento, mesmo um estando longe do outro. 

Nosso software de gestão de clínicas, o Clínica nas Nuvens, tem como uma das funcionalidades a telemedicina. Conheça melhor esse recurso e mude a rotina do seu ambiente de trabalho.

Software para clínicas

Compartilhe
André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto

Ajudo a facilitar a rotina de nossos clientes, gerenciando o time que trabalha constantemente para simplificar a gestão de clínicas, consultórios e centros médicos pelo Brasil.
Compartilhar Inscreva-se