Compartilhar Inscreva-se

Saiba como adotar o Atendimento Preferencial na sua clínica

Saiba como adotar o Atendimento Preferencial na sua clínica

O Atendimento Preferencial é uma regra bastante difundida nos locais onde se presta atendimento ao público. Na clínica ou no consultório médico, isso não deve ser negligenciado. Trata-se, afinal, de um direito das pessoas beneficiadas pela prioridade, bem como um dever de todo cidadão de respeitar as preferências.

Quer saber mais sobre o Atendimento Preferencial e sobre como ele pode ser implementado na sua clínica médica, seu consultório médico ou odontológico? Acompanhe este artigo e descubra mais informações sobre o tema!

O que é atendimento preferencial?

O Atendimento Preferencial é a prioridade dada para as pessoas cuja condição implica maiores dificuldades de aguardar pelo atendimento, principalmente em hospitais, centros de emergência, clínicas ou consultórios. Quem conta com Atendimento Preferencial tem direito à redução no tempo de espera em relação aos pacientes que podem esperar mais.

Na realidade da clínica médica, isso quer dizer que os Atendimentos Preferenciais “passam na frente” dos atendimentos sem prioridade. Para que isso funcione de maneira adequada, é importante treinar os funcionários e organizar o setor de atendimento para que as prioridades sejam respeitadas.

Quem tem direito ao atendimento preferencial?

O Atendimento Preferencial não é uma regra decidida na base do par ou ímpar, jogando moeda pra cima ou disputando cabo de guerra, é uma situação séria e um direito protegido por lei a todos que realmente necessitam desta condição.

É importante ter isso em mente e saber explicar para os pacientes que chegam no seu estabelecimento, para que eles compreendam e se adequem aos requisitos de preferência, sem que isso gere quaisquer transtornos ou desgastes evitáveis.

A educação se faz com boa comunicação e treinamento da equipe para instruir e guiar os rumos do seu negócio, sempre com total profissionalismo e seguindo a conduta mais indicada para cada caso que se apresenta.

Em relação a questão jurídica do Atendimento Preferencial, cabe dizer que a lei que rege esta regra deixa bem claro quais são os cidadãos que necessitam de prioridade total.

Segundo a Lei nº 10.048/2000, as pessoas para quem o Atendimento Preferencial é obrigatório são as seguintes:

  • gestantes e lactantes;
  • pessoas com 60 anos de idade ou mais;
  • pessoas com crianças de colo;
  • pessoas com deficiência;
  • obesos.

Portanto, estas condições apresentadas são inegóciáveis e devem ser compreendidas, aplicadas e protegidas. Certifique-se de que, na sua clínica ou consultório, estas medidas não passem em branco e se tornem uma constante.

Telemedicina

Como implementar o atendimento preferencial na clínica?

Existem duas questões que devem ser levadas em consideração no que se refere ao Atendimento Preferencial.

01) O comparecimento de pacientes sem hora marcada, para pronto atendimento.

02) Os atendimentos com hora marcada.

Para o pronto atendimento, sem hora marcada, a clínica deve criar duas filas distintas, fornecendo senhas específicas para os pacientes prioritários.

No caso da organização do Atendimento Preferencial com hora marcada, o controle é mais fácil. As consultas com horários muito próximos devem ser evitadas para facilitar o atendimento da recepção e reduzir atrasos.

Além disso, mesmo quem lida com pacientes de perfil predominantemente preferencial pode criar escalas de prioridade não previstas em lei. Para isso, o setor responsável por organizar a agenda pode fazer perguntas a fim de aumentar a prioridade no atendimento.

É possível priorizar gestantes no final da gestação e lactantes, em relação às gestantes em fase inicial. Também é possível priorizar os idosos com deficiência física ou dificuldades de locomoção, em relação aos idosos em melhor condição física.

Por fim, vale lembrar que o tempo de espera no consultório interfere muito na satisfação dos pacientes. O atendimento da equipe médica pode ser maravilhoso, mas se a espera for grande demais, os pacientes irão procurar outro lugar para serem atendidos.

Por isso mesmo, ninguém deve esperar por muito tempo. Mesmo os pacientes que não tenham prioridade devem ser atendidos com rapidez, cabendo aos gestores da clínica a tarefa de monitorar o sistema de atendimento para que tenha um baixo tempo de espera.

Observar as regras de Atendimento Preferencial é importante para que a clínica cumpra a lei, mas também para preservar os interesses dos pacientes, que devem ser tratados com todo o respeito e carinho, a fim de que, além de serem bem recepcionados e tenham sua demanda prontamente satisfeita, decidam voltar para o seu ambiente profissional, sempre que necessitarem de uma assistêcia médica. Isso é o que todo o gestor de clínica, hospital ou consultório defeja, a fidelização.

Por fim, é preciso compreender que um atendimento de qualidade leva em consideração as particularidades de cada pessoa atendida, visando harmonizar os interesses de todos.

Agora que você sabe mais sobre o atendimento preferencial, aproveite para ficar sempre por dentre das novidades no campo da saúde acessando o nosso blog.

E mais, siga-nos nas redes sociais. Temos páginas no Facebook, no Instagram e também no YouTube!

Compartilhe
André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto

Ajudo a facilitar a rotina de nossos clientes, gerenciando o time que trabalha constantemente para simplificar a gestão de clínicas, consultórios e centros médicos pelo Brasil.