Compartilhar Inscreva-se
A saúde da sua clínica também precisa de cuidados!
  • Diminua 50% as faltas dos pacientes.
  • Economize 40% no tempo de suas secretárias.
  • Facilite 100% seu dia.
Gostou desse conteúdo?

Junte-se a nossa lista de 10.500 profissionais da saúde e receba em primeira mão conteúdos exclusivos, eBooks e dicas de gestão.

Agora estamos prontos para ajudar você!

Você receberá todos os nossos conteúdos, dicas e ferramentas exclusivas.

Telemedicina: o que é, como funciona, benefícios e mais!

Telemedicina: o que é, como funciona, benefícios e mais!

Com o surgimento da pandemia do novo coronavírus, a telemedicina passou a marcar uma enorme presença na vida de médicos e pacientes através das recorrentes consultas online, não é verdade?

Entretanto, embora tenha ganhado destaque nos últimos tempos, essa não é uma área da medicina propriamente recente. Afinal, ela já vem sendo utilizada há anos e a cada dia tem se mostrado mais relevante para a promoção da saúde mundial.

Por isso, médicos e gestores de clínicas precisam conhecer e se atualizar constantemente sobre a telemedicina no Brasil para entregarem o melhor serviço aos pacientes. Conheça mais sobre o tema neste conteúdo!

Conheça as soluções digitais da Clínica nas Nuvens para clínicas e consultórios médicos!

O que é telemedicina? Como ela funciona?

Antes de mais nada, precisamos entender o que é telemedicina. Pois bem, ela é uma área da telessaúde que envolve os atendimentos médicos de forma remota através do uso de recursos tecnológicos.

Cabe mencionar, antes de prosseguirmos, que a telessaúde está relacionada à utilização de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) para a promoção da saúde.

Nesse sentido, a telemedicina envolve uma assistência médica à distância que pode ocorrer com a finalidade de consultar os pacientes, interpretar seus exames, monitorar o seu estado de saúde, entre outras atividades.

Embora possa existir a telemedicina gratuita para os pacientes, é necessário que médicos e clínicas contratem um software para a realização dessa atividade. Afinal, como mencionamos, a telemedicina apenas acontece com a ajuda da tecnologia.

A telemedicina no Brasil

O primeiro projeto de telemedicina foi implantado no Brasil em 2012. Na ocasião, os especialistas em neurologia do Hospital Israelita Albert Einstein passaram a dar suporte para os intensivistas do Hospital Municipal M’Boi Mirim para casos de AVC.

Já em 2015, o Albert Einstein inaugurou o primeiro serviço de tele UTI, que, em parceria com o Ministério da Saúde, passou a oferecer auxílio a hospitais da rede pública.

Mas, além desses projetos, outras atividades da telemedicina já vinham crescendo no país, como é o caso da emissão de laudos pela internet.

Entretanto, a telemedicina na pandemia ganhou outras proporções no Brasil e no mundo. Afinal, muitos atendimentos remotos ajudaram a salvar vidas, principalmente as de pacientes do grupo de risco.  

Pode-se dizer que as consultas online contribuíram para suprir a falta de demanda e ajudaram a preservar a vida das pessoas que puderam manter as rotinas médicas sem sair de casa.

Os benefícios da telemedicina

beneficios da telemedicina

Independentemente de o período ser pandêmico ou não, os benefícios da telemedicina são gigantes e podem realmente mudar o destino de muitos pacientes.

Nesse sentido, dentre as suas principais vantagens se destacam:

  • Atendimento aos pacientes que se encontram afastados dos centros urbanos sem que esses precisem se deslocar para longas distâncias;
  • Promoção da saúde para uma maior parte da população;
  • Descentralização da assistência médica, o que reduz a carga dos hospitais;
  •  Troca de conhecimento entre profissionais e maior assertividade nos tratamentos;
  •  Melhoria na qualidade dos laudos emitidos e resultados mais rápidos;
  •  Atendimentos mais rápidos e com menores custos;
  • Aumento da produtividade nas clínicas e consultórios e a oportunidade desses de oferecerem mais especialidades médicas aos pacientes.

banner

A regulamentação da telemedicina

Mundialmente, a telemedicina é regulamentada pelo American Telemedicine Association – ATA, órgão norte-americano.

No Brasil, essa atividade é regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina – CFM, sendo o seu principal documento a Resolução CFM nº 1.643/2002, que define e disciplina a prestação de serviços através da telemedicina.

Com o surgimento da pandemia do novo coronavírus, o governo federal promulgou uma lei para telemedicina, a Lei nº 13.989, de 15 de abril de 2020, que regulamenta, em caráter temporário, o uso dessa atividade para a realização de consultas entre médicos e pacientes.  

Quais são as frentes da telemedicina?

A telemedicina pode ser exercida através de diferentes frentes: teleconsulta, teleassistência, teleeducação e telelaudos. Conheça mais sobre cada uma delas!

Teleconsulta

A teleconsulta, como o próprio nome sugere, é uma consulta remota. Ela pode ser de dois tipos: entre dois ou mais médicos ou entre médico e paciente.

Na primeira situação, um médico busca a assistência de um ou mais especialistas para tomar uma decisão, realizar um diagnóstico, prescrever medicamentos, entre outros.

Na segunda, a consulta remota ocorre entre médico e paciente, tendo essa sido regulamentada no Brasil após o surgimento da pandemia pela Lei nº 13.989/2020.

Teleassistência

A teleassistência refere-se ao monitoramento do paciente com a finalidade de assegurar o seu bem-estar. O indivíduo pode ser monitorado de um centro de saúde ou de sua própria residência.

Nesse caso, existe um profissional da saúde ao seu lado que permanece em contato remoto e contínuo com especialistas para garantir a sua saúde.  

Teleeducação

A teleeducação está associada à capacitação à distância do profissional de saúde. Ela é comumente utilizada por médicos que estão longes dos grandes centros e que, para se manterem atualizados, utilizam essa modalidade da telemedicina.

Convém mencionar que alguns meios da teleeducação são: vídeochamadas, aulas e palestras online, programas de reciclagem remotos, entre outros.

Telelaudos

No caso dos telelaudos, os exames podem ser realizados em um determinado lugar, mas serem laudados por especialistas que se encontrem em qualquer parte do mundo.

Nesse caso, os aparelhos utilizados para a realização dos exames enviam os resultados via Internet para o especialista, que produz o laudo e o reencaminha para o local de origem.

Como funciona uma plataforma de telemedicina?

telemedicina no brasil

Em uma plataforma de telemedicina completa, como é o caso do software oferecido pela Clínica nas Nuvens, é possível:

Conclusão

Para garantirem a qualidade dos serviços prestados aos pacientes, bem como atualizarem os procedimentos conforme surgem as necessidades, médicos e clínicas devem estar sempre atentos aos avanços da telemedicina.

Afinal, essa é uma área que cresce cada vez mais e demanda conhecimentos específicos para promover e facilitar com sucesso o acesso à saúde! 

Compartilhe
André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto

Ajudo a facilitar a rotina de nossos clientes, gerenciando o time que trabalha constantemente para simplificar a gestão de clínicas, consultórios e centros médicos pelo Brasil.