O que não pode faltar na receita médica do paciente

O que não pode faltar na receita médica do paciente

Receita médica faz parte da nossa vida desde a infância. Levar na farmácia o receituário depois da consulta é a coisa mais normal do mundo e, para quem busca seu medicamento, não há necessidade de saber questões técnicas sobre a receita.

Agora, os profissionais da saúde, médicos e os próprios farmacêuticos, precisam conhecer tudo o que gira em torno desse documento. É uma das exigências básicas de quem trabalha com pacientes. 

Neste texto, vamos trazer informações sobre o que é, como fazer receita médica e como funciona a prescrição médica digital. Acompanhe o conteúdo e fique por dentro!

O que é prescrição médica

Na relação entre médico e paciente, existem algumas etapas a serem seguidas. Uma delas é justamente a receita médica, um documento que detalha e orienta o paciente sobre uso de medicamentos e como ele deve seguir o tratamento recomendado. 

A receita, ou prescrição médica, é, portanto, uma das funções mais importantes e, ao mesmo tempo, rotineiras, do médico. Mas é necessário que seja elaborada com rigor técnico e contenha todas as informações pertinentes para que o paciente não tenha dúvidas sobre o documento.

A compreensão adequada do que se apresenta na receita médica terá impacto direto na saúde do paciente, pois é através da prescrição que ele irá se basear para seguir seu tratamento e tomar os medicamentos descritos.

Desta maneira, inclusive, uma recuperação mais rápida do paciente, em relação a sua enfermidade, também passa por uma prescrição médica exata e que contenha absolutamente todos os passos a serem seguidos.

Prontuário eletrônico

O que não deve faltar na receita médica

Toda receita médica precisa conter alguns itens indispensáveis para que o paciente tenha em mãos todas as informações pertinentes para seu tratamento, além de estarem de acordo com o Conselho Federal de Medicina.

Dentre os elementos fundamentais que devem estar na receita médica, podemos destacar a data da receita, o medicamento que será utilizado, a posologia, ou seja, a forma de utilizar o medicamento, e o tempo de utilização do medicamento.

Além disso, é preciso constar a via de administração do remédio, ou seja, como ele será usado, se é em gotas ou comprimidos, indicações de uso e eventuais advertências, além do tipo de receita. 

Aliás, sobre isso, é importante entender que existem alguns tipos de receita médica. São modelos que o CFM (Conselho Federal de Medicina) reconhece, como a receita simples, a amarela (receita A), azul (receita B) e as receitas de controle especial e a renovável. 

receita médica

Como funciona a prescrição médica digital

A receita médica digital é um arquivo que o médico pode enviar para os pacientes por e-mail, SMS ou mesmo usando o WhatsApp. Esse arquivo pode ser no formato PDF e facilita muito a vida, tanto do médico quanto do paciente. 

Principalmente depois da pandemia de Covid 19, as receitas digitais se tornaram mais comuns e isso possibilitou que pacientes, independente da sua localização, pudessem receber a prescrição do médico à distância.

Obviamente, a receita digital precisa seguir algumas regras para que seja criada, enviada e aceita nas farmácias. Antes de mais nada, é preciso que o médico tenha um certificado digital, que é um documento que funciona como uma assinatura do profissional, para comprovar sua autenticidade.

Em seguida, o médico deve criar sua receita em um site, como o site do CFM, que disponibiliza modelos de receitas que podem ser preenchidos pelo profissional.

Depois de encaminhada, já diante do farmacêutico, a receita deverá ser validada no site Validador de Documentos Digitais, que é uma parceria entre o Governo Federal, o Conselho Federal de Farmácia, o Conselho Federal de Medicina e o Instituto de Tecnologia da Informação. Também é preciso que o farmacêutico tenha um certificado digital para que a receita seja validada.

Passados os procedimentos legais, o paciente pode usufruir dos seus medicamentos com segurança. No mais, vale salientar que não são todos os tipos de medicamentos aceitos na receita digital.

De acordo com a Anvisa, podem ser receitados medicamentos como os antimicrobianos e os controlados, como antidepressivos, antipsicóticos, anticonvulsivantes, controladores de hormônios e ansiolíticos.

Software para clínicas

Prescrição médica digital integrada a um software para clínicas

Com o Clínica nas Nuvens, software de gestão para clínicas, você integra a prescrição médica com todas as funcionalidades de gestão para transformar seu ambiente de trabalho.

Com os recursos do prontuário eletrônico do Clínica nas Nuvens, por exemplo, você pode armazenar e organizar suas receitas digitais na nuvem, mantendo as informações seguras, acessíveis e integradas com os outros setores da clínica.

Além disso, é possível enviar as receitas digitais através do software do Clínica nas Nuvens. Assim, seus pacientes receberão a receita através de SMS, e-mail ou WhatsApp.

Utilize o software para clínicas, Clínica nas Nuvens, e conte com inúmeras ferramentas para facilitar o dia a dia no seu empreendimento, otimizando o tempo dos profissionais, agilizando processos e tendo total controle das informações geradas.

Conte com a agenda médica online, o prontuário eletrônico, a telemedicina, controle financeiro, integração contábil, sistema de cobranças, faturamento TISS, cartão de benefícios, Business Intelligence e muitas outras opções para ajudar sua clínica a aumentar o faturamento.

Sistema para clínica
Compartilhe
André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto

Ajudo a facilitar a rotina de nossos clientes, gerenciando o time que trabalha constantemente para simplificar a gestão de clínicas, consultórios e centros médicos pelo Brasil.
Compartilhar Inscreva-se