Compartilhar Inscreva-se

Protocolo de Manchester: benefícios para a sua clínica 

Protocolo de Manchester: benefícios para a sua clínica 

A busca por equidade, agilidade, senso de urgência e maior qualidade no atendimento de pessoas, abrange inúmeras áreas profissionais. Não é de hoje que empresas, organizações, instituições, grupos ou mesmo indivíduos, estudam e buscam melhores condições de trabalho para si e para satisfazer seus clientes.

No campo da saúde, em que trafegam enfermeiros, médicos, diretores de hospitais, donos de clínicas, secretárias, financeiros e outros colaboradores, não é diferente. Ao longo das décadas, muitos avanços foram feitos e muita coisa mudou para melhor. 

De modo geral, todo mundo está sempre procurando uma maneira mais eficiente de melhorar a vida de quem paga por seus serviços ou produtos. Mas, se no ramo empresarial o público atendido é “o cliente”, no universo da saúde a busca por melhores condições se estende para “o paciente”. 

Duas palavras, diga-se, dissociadas por uma diferença colossal de sentido. 

Satisfazer um paciente significa muito mais do que mudar o sabor de um produto para agradar o cliente, como seria a atitude de uma empresa de alimentos, por exemplo. O ato de ter um paciente satisfeito pode ser algo tão sério e importante, que reflete diretamente na saúde ou mesmo na vida daquela pessoa. 

Evite prejuízos com glosas

E certamente foi assim, percebendo os sérios problemas encontrados nas emergências, clínicas médicas e hospitais, vendo pessoas sofrerem, piorarem seus quadros e até mesmo perderem a vida (por não serem atendidas no momento certo), que o Protocolo de Manchester ganhou força. 

Hoje, mesmo com algumas deficiências que possam ser encontradas no ambiente da saúde, o Protocolo de Manchester é elementar para proporcionar  um atendimento humanizado e um divisor de águas entre o bem-estar e o risco de vida de muitas pessoas. 

Entenda o que é o Protocolo de Manchester e perceba como pode ser útil para a sua clínica.

O que é o Protocolo de Manchester

Surgimento do Protocolo de Manchester

No ano de 1997, na cidade de Manchester, Inglaterra, surgiu o mundialmente conhecido Protocolo de Manchester, um método inovador de triagem de pacientes, que determina a condição de saúde de cada pessoa e a urgência do atendimento. Com o tempo, este método foi se espalhando e logo ganhou a adesão de vários países como Alemanha, Holanda, Suécia e, claro, o Brasil.

Explicando o que é o Protocolo de Manchester

O protocolo nada mais é do que um método de classificação do risco de vida da pessoa. Ele é determinado pelas cores: azul, verde, amarelo, laranja e vermelho. Os casos mais graves são indicados na cor vermelha e os casos menos preocupantes são marcados com a cor azul. 

Além disso, as outras cores determinam se o estado do paciente está mais ou menos complicado. Por exemplo: a cor verde indica que a situação de determinada pessoa é levemente mais delicada do que a que possui a marcação azul.

Consequentemente, quem recebe a cor amarela, está um pouco mais debilitado do que quem recebeu a verde. Consequentemente, a pessoa que recebe a marcação de cor laranja, tem prioridade em relação a quem recebeu a amarela e já se classifica dentro de um quadro em que há risco de vida. Por fim, a pessoa que recebe a cor vermelha, tem sério risco de vida e deve ser atendida imediatamente.

Sistema para clínica

Como é definido o Protocolo ou Escala de Manchester

De maneira mais catedrática, a também chamada Escala de Manchester (pois determina escalas de urgência através das cores), se configura da seguinte maneira:

Azul (Não é urgente – Tempo de espera de até 4h).

Verde (É pouco urgente – Tempo de espera de até 2h).

Amarelo (É urgente – Tempo de espera de até 1h).

Laranja (Muito urgente – Tempo de espera de até 10 minutos).

Vermelho (É uma emergência – Paciente deve ser atendido imediatamente).

Para simplificar, vamos trazer mais um exemplo. Imaginemos que um paciente entre em uma unidade de saúde, hospital, emergência ou clínica médica. Logo, essa pessoa será supervisionada por profissionais que irão (levando em conta os sintomas e as análises prévias do estado de saúde da pessoa), lhe conferir uma posição dentro do Protocolo de Manchester. 

A condição de saúde dessa pessoa colocará ela entre a matiz azul e vermelha. Sendo assim, o tempo para que ela seja atendida por um médico é relativo à sua classificação no protocolo, somado à quantidade de outras pessoas que estejam procurando ajuda naquele local. 

Cabe dizer também que essas cores podem ser indicadas através de pulseiras, adesivos ou qualquer outra maneira que deixe explícita a condição do paciente e sua posição para o apoio médico.

A importância do Protocolo de Manchester para as clínicas particulares e clínicas populares

Como já foi mencionado, o Protocolo de Manchester é extremamente eficiente, pois proporciona organização, padronização e justiça no suporte aos pacientes. 

Os atendimentos acontecem de maneira mais coordenada, rápida e assertiva. As necessidades de cada indivíduo são assimiladas pela equipe médica e impera a imparcialidade, maior segurança na tomada de decisões e respeito a todos que procuram auxílio médico. 

No caso das Clínicas Médicas, sejam clínicas particulares ou Clínicas Populares, a implementação do Protocolo de Manchester é uma decisão que, sem dúvidas, impacta positivamente no negócio. 

Software médico

Vale ressaltar (como exemplos de benefícios e para além de tudo o que já foi mencionado) que o Protocolo de Manchester também gera mais economia, pois reduz o desperdício de materiais. Os pacientes recebem as medicações e recursos determinados pelo diagnóstico de gravidade, aferido durante a triagem. 

No mais, minimiza a superlotação, já que promove a ordem nos locais de assistência ao público, e também reduz significativamente os erros que possam ocorrer no atendimento aos pacientes.

Por fim, se você possui uma clínica médica, não deixe de considerar a utilização do Protocolo de Manchester. Expomos aqui informações significativas para você levar em consideração e instaurar esse sistema. 

Uma clínica profissional não pode ficar para trás e deve sempre investir no que gera progresso e mais lucratividade para o negócio. Pensando nisso, fica também o convite para você conhecer o Clínica nas Nuvens, software de gestão de clínicas médicas que tem transformado a vida de milhares de profissionais em todo o Brasil. Caso seja do seu interesse, solicite uma demonstração gratuita e suba de nível.

Guia de gestão financeira para clínicas médicas
Compartilhe
André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto

Ajudo a facilitar a rotina de nossos clientes, gerenciando o time que trabalha constantemente para simplificar a gestão de clínicas, consultórios e centros médicos pelo Brasil.