Compartilhar Inscreva-se

Caneta e papel: inimigos do desempenho na gestão da clínica

Caneta e papel: inimigos do desempenho na gestão da clínica

Diante de um avanço significativo de tecnologias ligadas à gestão da clínica, organizar os dados do consultório com papel e caneta não é uma escolha inteligente. Além de não ser o método mais seguro, resulta em perda de produtividade, desperdício de tempo e recursos.

Dessa forma, o aumento de desempenho de profissionais que dependem de uma organização efetiva acaba sendo uma meta difícil de atingir.

Neste conteúdo, nós vamos mostrar porque caneta e papel são inimigos do desempenho, apontando para as desvantagens de depender apenas desses dois instrumentos para o gerenciamento de tarefas, agendas e dados de pacientes em clínicas. Além disso, você vai descobrir como fazer uma gestão mais efetiva com o auxílio de um método mais moderno, evitando erros e falhas humanas e garantindo melhores resultados para seu negócio.

Continue acompanhando e saiba como aumentar o desempenho do consultório médico. Boa leitura!

Por que não depender de caneta e papel no dia a dia?

Atende o telefone, anota o nome e o contato do cliente, procura na agenda em ordem alfabética, A, B, C, D…, pronto! Escreve a lápis, depois anota direito. Cliente liga e desiste, apaga o nome, remarca, escreve à caneta em um papel, passa a limpo para a agenda, abre e fecha o caderno. Lembra que ele precisa levar um exame na próxima consulta. Abre de novo na letra D, anota do lado, liga e fecha.

Bom, só de imaginar que essa sequência de ações acontecia dezenas de vezes na rotina de secretárias e recepcionistas de clínicas no passado, causa grande incômodo e cansaço. Dentre muitas outras tarefas como essa, precisamos admitir que o trabalho de quem dependia de papel e caneta para se organizar era muito repetitivo, comprometendo tanto a motivação quanto o desempenho.

O bom é que hoje ninguém precisa mais ficar com cara de choro quando pensar no trabalho envolvido com a gestão de clínicas e consultórios. Graças aos benefícios de softwares médicos, a rotina nesses estabelecimentos tornou-se bem mais simples e produtiva.

Para comprovar essa realidade de maneira mais clara, que tal compararmos os dois métodos: caneta e papel x software médico? Confira a seguir.

Caneta e papel x software médico

Para demonstrar como a evolução chegou na saúde, vamos citar os principais aspectos que diferenciam a gestão feita com papel e caneta da que utiliza um software para clínica. São eles:

  • organização
  • segurança
  • desempenho

O primeiro ponto que deve ser destacado é o aspecto organização, pois a automatização de funções diminui drasticamente o espaço físico ocupado anteriormente por arquivos de papel. Ou seja, se antes a mesa do profissional da saúde ou da secretária da clínica viviam com pastas e mais pastas de papeis, com um sistema para clínica isso deixa de ser uma realidade, melhorando muito o ambiente de trabalho.

Além dessa questão ligada ao ambiente, o próprio profissional responsável pelas funções administrativas, quando utiliza um software médico, consegue encontrar tudo o que precisa apenas em um lugar, sem ter de se deslocar ou perder tempo procurando alguma informação em pilhas de papeis. Assim, é possível oferecer mais agilidade nos atendimentos aos pacientes e também evitar que a equipe perca horas realizando atividades que poderiam ser feitas em minutos.

Portanto, a integração de informações é uma grande facilitadora, enquanto a anotação em papéis, agendas, cadernos e pastas separadas cria, inegavelmente, uma dinâmica bem mais trabalhosa.

A segurança também é outro fator que configura uma vantagem do software médico em relação ao papel, uma vez que prontuários, históricos e documentos ficam muito bem guardados na nuvem. Já, em relação ao uso de papel, são muitos os riscos que ameaçam esses arquivos, como o próprio desgaste natural do tempo.

Além disso, enquanto documentos em papel ficam mais suscetíveis a serem acessados por pessoas não autorizadas, arquivos guardados em um sistema online exigem senhas e autorizações para serem acessados, garantindo mais sigilo em relação as informações da clínica e dos pacientes.

Finalmente, para encerrar, precisamos o citar o desempenho em si, que acaba sendo potencializado pelo software médico devido a uma rotina mais organizada e a ferramentas que oferecem funções compatíveis com as obrigações do dia a dia.

Como escolher um bom sistema para clínica?

Como você viu, usar um software médico é uma necessidade, pois melhora, e muito, os resultados da empresa. Mas como escolher um sistema para clínica? Bom, o primeiro ponto é analisar as necessidades da empresa e verificar se o sistema atende todas elas.

Para isso, pesquise todas as opções disponíveis no mercado, procure por avaliações de outros profissionais, converse com colegas de atuação e entre em contato com as empresas fornecedoras dessa solução para tirar todas as possíveis dúvidas.

Hoje, existem muitos sistemas para clínicas disponíveis, cada um deles possui características próprias. Um exemplo que está se destacando cada vez mais no mercado é o Clínica nas Nuvens, solução totalmente voltada para a gestão de clínicas e consultórios de todas as áreas da saúde.

Entre as funcionalidades desses sistema está a telemedicina, o prontuário eletrônico, a agenda médica, o Business Intelligence, entre outras muitas ferramentas para auxiliar no controle financeiro, no atendimento aos pacientes e no aumento de resultados.

Quer saber mais sobre os benefícios de contar com um sistema para clínica? Então acesse o conteúdo: Saiba o que avaliar ao contratar um sistema para clínica.

Compartilhe
André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto

Ajudo a facilitar a rotina de nossos clientes, gerenciando o time que trabalha constantemente para simplificar a gestão de clínicas, consultórios e centros médicos pelo Brasil.