Anamnese: o que é, para que serve e como fazer

Anamnese: o que é, para que serve e como fazer

Na área da saúde, existe uma série de cronogramas, procedimentos, padronizações e todo o tipo de regra a ser seguida, tendo em vista a responsabilidade de lidar com pessoas em situações de vulnerabilidade. Uma questão bastante utilizada, mas que ainda gera dúvidas é a anamnese.

Neste texto, vamos trazer o significado de anamnese, para que ela serve, como utilizar na sua clínica e outras informações relevantes sobre o tema. Acompanhe  texto abaixo e boa leitura!

O que é anamnese

Etimologicamente, esta palavra vem do grego e teria significado ligado à recordação ou ao ato de rememorar. Ao que se sabe, os gregos falavam da anamnésis quando estavam tratando das memórias, do que podiam lembrar.

Passados milênios, a anamnese ainda é utilizada diariamente, mas foi se adaptando aos avanços, aos novos modos de ser e agir das sociedades modernas e contemporâneas. Hoje, é bastante conhecida e utilizada no meio médico, auxiliando muito nas análises e nas avaliações de pacientes, o processo de definições de diagnósticos.

De forma prática, podemos dizer que a anamnese clínica é uma espécie de entrevista que o profissional de saúde faz com o paciente. Nela, várias perguntas são feitas para buscar respostas para o que se passa com aquela pessoa.

Além disso, é importante que o médico tenha sensibilidade e seja uma pessoa com bom senso analítico para saber o que perguntar e qual é o melhor momento. Ele também deve observar o jeito do paciente, se é mais introspectivo ou falante, se consegue expor o que pensa com facilidade ou não.

A anamnese do paciente não é apenas uma série de perguntas fechadas, mas uma troca de informações, um processo dialético com a função de revelar o que está perturbando a vida do paciente.

anamnese

Para que a anamnese serve

A anamnese é de suma importância no ambiente de saúde, mais precisamente, no ambiente médico, psiquiátrico, psicológico ou qualquer outra especialidade, pois é o principal instrumento para “ler” as queixas do paciente.

É claro que, hoje, conta-se com muita tecnologia: máquinas variadas que fazem os mais diversos tipos de exames, aparelhos que medem dos pés à cabeça e são extremamente importantes para a manutenção ou o tratamento de saúde das pessoas.

Porém, na base de tudo isso, no alicerce da interação entre médico e paciente, na intimidade que precisa existir entre o profissional e quem busca assistência, a sensibilidade, a visão analítica, a percepção e a capacidade de saber fazer as perguntas certas para obter as respostas adequadas ainda são insuperáveis.

Justamente essa atitude, esse método de interação com o paciente, ou seja, a anamnese, faz toda a diferença para os próximos passos serem dados a partir da ação de pedir exames, indicar outros especialistas, receitar determinados medicamentos, etc.

Sistema para clínica

Como fazer anamnese da maneira certa

A anamnese completa começa com perguntas que devem ser feitas ao paciente e dizem respeito a quem ele é, o que faz da vida e quantos anos tem.

Essa etapa acontece ainda na triagem, em que, geralmente, mistura-se anamnese e exame físico, com medição da pressão arterial, oximetria e questionamentos, como nome, endereço, idade, telefone, estado civil, gênero, profissão, entre outras perguntas que embasam a comunicação entre o médico e o paciente.

Depois, no consultório médico, é preciso entrar nos questionamentos referentes ao que o paciente está passando, o que ele tem, o que ele sente, quais são os sintomas e o que lhe aflige.

É possível que o profissional faça tanto perguntas já prontas, quanto anotação do que o paciente vai lhe expondo. Diante do que se apresenta, o médico constrói as perguntas que se encaixem com o contexto.

Logo depois de entender o que o paciente tem, é importante buscar o histórico desses males, questionando quando isso começou, em que momento, como a pessoa estava vivendo naquele período, se passou por algo traumático ou difícil, enfim, uma anamnese que compreenda o contexto histórico.

Diante dessas informações, já dá para ter uma base de como as coisas começaram e de como o paciente estava na época dos primeiros sintomas. Porém, também é importante conhecer melhor a pessoa, expandir o histórico dos sintomas para um histórico de vida.

É possível fazer perguntas, dependendo do caso, desde a infância: que doenças ele lembra ter tido, se fez cirurgias, se teve fraturas, quais doenças os familiares mais próximos têm ou tiveram, etc. Isso serve até para o tratamento não entrar em conflito com algo do passado, que possa afetar a pessoa.

Diante desses questionamentos e de uma boa dose de observação não verbal, ou seja, análise da postura do paciente, do jeito como se comunica e outras atitudes, o profissional vai construindo o processo de anamnese.

É importante registrar tudo no prontuário eletrônico, arquivando as informações adequadamente e seguindo a lei geral de proteção de dados. No mais, vale deixar tudo bem alinhado para um próximo profissional averiguar sem problemas.

Prontuário eletrônico

O software que ajuda sua clínica

Por meio das funcionalidades, como o prontuário eletrônico, o Clínica nas Nuvens possui uma sequência de perguntas-padrões que podem ser personalizadas.

De acordo com as peculiaridades das consultas e as necessidades do paciente, o médico pode adequar as perguntas no dispositivo, no computador ou no tablet, por exemplo, e realizar a entrevista.

As perguntas ficam salvas no prontuário, ou seja, na nuvem, com total segurança, visto que o Clínica nas Nuvens possui a mesma proteção utilizada nas instituições bancárias. Além disso, com as perguntas salvas e a integração que o software proporciona, o profissional pode escolher quem terá acesso aos dados.

O exemplo de anamnese pelas ferramentas que o Clínica nas Nuvens disponibiliza é facilitado e proporciona mais tempo para os profissionais cumprirem os compromissos sem muita correria.

Software para clínicas
Compartilhe
André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto

Ajudo a facilitar a rotina de nossos clientes, gerenciando o time que trabalha constantemente para simplificar a gestão de clínicas, consultórios e centros médicos pelo Brasil.
Compartilhar Inscreva-se