Compartilhar Inscreva-se

Entenda o que é telemedicina e como pode ajudar você

Entenda o que é telemedicina e como pode ajudar você

O avanço da tecnologia tem gerado diversos impactos positivos no setor da saúde. Hoje, já é possível utilizar equipamentos robustos e controlar um consultório com a ajuda de um sistema de gestão, por exemplo. Além disso, há a proposta de telemedicina que, basicamente, trata-se do exercício da medicina por meios tecnológicos.

Nesse caso, os médicos se comunicam à distância e pela internet. O contato é feito tanto com outros profissionais (como técnicos e especialistas) quanto com os pacientes. Como o mundo está cada vez mais conectado, a tendência é que essa alternativa se desenvolva ainda mais.

Mas será que essa opção vale a pena? Descubra o que é telemedicina e como ela pode ajudar!

Quais são as vantagens da telemedicina?

O crescimento da assistência à distância está relacionado aos benefícios que ela oferece. Ao conhecê-los, dá para definir quão oportuna é essa possibilidade para a sua atuação. Vejamos então quais pontos merecem atenção!

Flexibilidade e acessibilidade

Graças aos recursos digitais, é possível garantir assistência básica a pacientes de qualquer lugar. O laudo de exames, por exemplo, pode ser feito com o envio de informações de modo digital.

Além disso, há como realizar consultas de rotina com a ajuda de elementos, como a câmera e o microfone. Embora não seja possível substituir o contato presencial, é uma forma de alcançar mais pessoas e ampliar o nível de cuidado.

Economia de tempo e dinheiro

O fato de tudo acontecer à distância permite que a clínica médica tenha uma estrutura reduzida e gaste menos, por exemplo, ocupando um espaço menor.

Ainda, é possível economizar tempo no atendimento, já que não é preciso lidar com os atrasos de pacientes por causa do transporte. Assim, há mais produtividade e melhores resultados.

Versatilidade de atuação

A telemedicina serve para o acompanhamento de pacientes que demandam atenção constante. Com o uso de dispositivos de monitoramento, é viável ficar de olho nas informações vitais.

Além disso, há a chance de conversar com especialistas e debater casos, desde que a confidencialidade seja mantida. Nesse caso, há vantagem de obter outras opiniões.

Quais sãs as desvantagens?

Ao mesmo tempo, aparecem desvantagens que não podem ser ignoradas. Ao ponderá-las, é possível entender quais são as exigências. Por isso, vejamos os pontos negativos.

Necessidade de estrutura específica

Embora a estrutura física da clínica não tenha que ser tão grande, é preciso ter recursos específicos. A internet, por exemplo, deve ter alta qualidade e velocidade.

Ainda, é essencial planejar melhor a agenda e ter o apoio físico necessário no ponto de atendimento. Em alguns casos, é fundamental ter o suporte de um profissional da área, o que demanda preparação.

Cuidado com aspectos éticos

Não menos relevante, há questões éticas que demandam cuidado. O ponto mais importante tem a ver com a segurança de dados, já que as informações dos pacientes são confidenciais.

Em vez de usar qualquer recurso, a telemedicina exige o uso de ferramentas protegidas. Somente assim, é possível evitar o acesso inadequado a informações sensíveis.

O que é e o que muda com a regulamentação da telemedicina?

Ao falar nesse tipo de atuação, o Conselho Federal de Medicina (CFM) tem a Resolução CFM nº 1.643/2002. No entanto, ela é considerada obsoleta.

Então, foi criada a Resolução CFM nº 2.227/2018, que passou a valer em 2019 e determina alguns pontos. Entre eles estão:

  • gerenciamento de riscos sobre as informações;
  • preservação de todos os dados trocados, inclusive áudios e imagens;
  • atendimento presencial prévio obrigatório para a teleconsulta;
  • exigência de consentimento do paciente;
  • treinamento para outros profissionais da teleconsulta;
  • realização de telediagnóstico mediante diretrizes científicas;
  • monitoramento por parte dos Conselhos Regionais de Medicina.

No entanto, ela foi revogada pela Resolução CFM nº 2.228/2019. Como ainda não há um instrumento para as regras, a regulamentação não tem caráter definitivo. Contudo, é preciso ficar atento para acompanhar futuras exigências.

A telemedicina é uma abordagem que inclui o uso de tecnologia para a prática médica à distância. Ao conhecer pontos positivos e negativos, você pode decidir se essa alternativa faz sentido para a sua realidade.

Para não ficar de fora das novidades do mercado, descubra também quais são as principais tendências de tecnologia para clínicas.

Compartilhe
André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto é especialista em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC). É CEO do Clínica nas Nuvens, um software médico online completo para o gerenciamento de clínicas e consultórios.