Sistema online completo
para clínicas e consultórios
5 dicas essenciais para médicos melhorarem o relacionamento com a imprensa

5 dicas essenciais para médicos melhorarem o relacionamento com a imprensa

A saúde é constantemente assunto em pauta nos mais diversos meios de comunicação. E isso não é à toa, já que a área é o segundo maior problema do Brasil, ficando atrás apenas da corrupção, conforme pesquisa divulgada pelo Datafolha em novembro de 2015.

Mas, nem sempre a abordagem dos veículos trata, necessariamente, dos problemas e dificuldades enfrentados no sistema de saúde do país, seja ele público ou privado. Muitas vezes, temas como qualidade de vida, bem-estar e prevenção de doenças ganham destaques nos noticiários, isso porque também interessam grande parte da população.

E quem melhor para falar sobre assuntos como esses do que profissionais da área médica? Com formação na área e conhecimentos específicos, você certamente é uma boa fonte de informação.

Por isso, mais cedo ou mais tarde algum repórter pode ligar para sua clínica, consultório ou mesmo hospital solicitando uma entrevista sobre algum assunto atual relacionado à saúde, questões médicas diversas ou ainda atrás de uma boa história de superação.

Enquanto alguns já estão habituados a essa situação, outros costumam fugir da imprensa como se fosse “um bicho de sete cabeças”. No entanto, acabam esquecendo-se de que essa relação pode ser bastante benéfica, ajudando, principalmente, na divulgação e construção da imagem do profissional junto ao público que pode vir a se tornar seus pacientes.

A tarefa de conceder entrevistas, acredite, é mais simples do que parece, por isso, selecionamos 5 dicas essenciais para você iniciar ou melhorar seu relacionamento com a imprensa. Confira!

1. Seja acessível e atencioso

Você está trabalhando e o profissional que o procurou também. Portanto, antes de sair rejeitando ligações, procure conversar e conhecer o assunto para, então, tomar uma decisão.

Se não puder atender ou receber o repórter na hora, mostre-se disponível a ajudar, combinando o melhor dia e horário (o mais breve possível) para que ele retorne o contato.

Lembre-se de que o jornalista pode ser ser parceiro na missão de se comunicar com a sociedade.

2. Tenha conhecimento sobre o assunto

Você aceitou conceder a entrevista, agora, é hora de se preparar. Com o tema já definido, faça algumas leituras e pesquisas sobre o assunto, isso ajuda e muito na hora de responder as perguntas, já que você vai estar bem preparado, demonstrando conhecimento sobre o mesmo.

Outra dica é escrever alguns tópicos sobre o tema e ter as anotações junto na hora da entrevista, pois o nervosismo pode acabar fazendo você esquecer alguma coisa.

Se preferir, também peça para que o repórter envie antecipadamente os principais pontos a serem abordados na conversa, assim você poderá se preparar melhor e se sentir mais confiante.

3. Humanize o tema

Uma reportagem com informações sobre uma doença e entrevista de um especialista é considerada boa, mas com depoimentos de um paciente é ainda melhor. Humanizar um assunto é sempre a melhor forma de compartilhá-lo com outras pessoas.

Portanto, se o repórter pedir ajuda para encontrar um paciente, seja colaborativo. Ele pode reforçar ainda mais a importância do seu trabalho e da sua ajuda no atendimento, tratamento ou cura de alguma doença. Entre você mesmo em contato com o paciente, explicando a situação previamente e ressaltando a importância do seu depoimento como exemplo para outras pessoas.

4. Evite termos muitos técnicos

Termos técnicos e jargões só podem ser utilizados se a entrevista for publicada em alguma revista ou canal voltado exclusivamente aos profissionais ou estudantes da área. Caso contrario, busque sempre simplificar o assunto para o público possa compreendê-lo da melhor forma.

Também é importante lembrar que o repórter não possui o conhecimento aprofundado sobre o assunto, por isso procurou você. Tenha paciência ao explicar as causas ou tratamentos de doenças, por exemplo. Ele certamente será muito grato e voltará a lhe procurar quando precisar.

5. Confie no trabalho do profissional

A confiança precisa ser um sentimento recíproco nesse relacionamento. Se o repórter o procurou, confia no seu trabalho como médico e você também deve confiar nele.

Com a versão final da publicação, converse com o repórter explicando que a ideia é apenas garantir que nenhuma informação equivocada seja publicada. Afinal, você entende da parte técnica, mas quem entende de redação é ele. O objetivo é que a parceria renda uma material com qualidade de alto nível.

Gostou das nossas dicas? Então, compartilhe com seus colegas de profissão. Até a próxima!

André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto é especialista em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC). É CEO do Clínica nas Nuvens, um software médico online completo para o gerenciamento de clínicas e consultórios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *