Sistema online completo
para clínicas e consultórios
Você conhece a Síndrome do Jaleco Branco?

Você conhece a Síndrome do Jaleco Branco?

Que muita gente não gosta ou tem aquele certo receio de ir ao médico, você certamente já sabe. Mas, já parou pra pensar que isso pode não ser apenas “coisa da cabeça” do seu paciente?

O fato de ir a um consultório ou hospital diante de uma emergência provoca em diversos pacientes um estado de ansiedade que, em muitos casos, pode acabar gerando uma crise de pânico. Itens como o estetoscópio e, principalmente, o jaleco, reforçam ainda mais essa tese.

Iatrofobia: medo de médicos

Com origem grega, a palavra iatrofobia indica o medo irracional de médicos, relacionado tanto à exposição a determinados objetos quanto a situações envolvendo a presença desse profissional. Dessa forma, quem sofre do transtorno tende a evitar, a qualquer custo, esse contato.

A ansiedade provocada pela presença de um médico também pode ser conhecida nesse meio como “Hipertensão do Jaleco Branco”. Ou seja: quando o paciente tem a pressão arterial alterada em função da presença de um médico ou profissionais que utilizem roupas brancas.

Causas

As principais causas dessas fobias estão relacionadas a traumas sofridos pelos pacientes quando crianças. Mesmo assim, adultos também podem desenvolver o problema ao longo do anos.

Isso ocorre porque a imagem dos médicos geralmente está associada a remédios amargos, doenças, injeções e ambientes “pesados” como hospitais, cercados por acidentes, sangue e morte.

Além disso, notícias de erros médicos que levaram à morte pacientes ou falhas grotescas, como esquecimento de materiais dentro de pacientes em cirurgias, também aumentam esse temor.

Sintomas

De maneira geral, pacientes que com iatrofobia apresentam sintomas como tensão muscular, tremedeira, náuseas e ânsia de vômito. Para outras pessoas, demonstram confiança ao falar sobre os profissionais, mas diante de um encontro ficam agitados e hesitam na hora de conversar.

Na maioria dos casos também adiam ou faltam em consultas ou exames médicos de rotina pelo maior tempo possível. Tem a pressão alterada ao entrar no consultório ou hospital. Temem ficar doentes ou sofrer lesões em função de que podem necessitar de tratamento médico.

Tratamentos

Casos de iatrofobia podem ser extremamente difíceis de tratar, isso porque quem sofre do transtorno costuma também desenvolver o medo em relação a outros profissionais de saúde mental, como psicólogos, psiquiatras e terapeutas.

Serviços de atendimento através de telefone ou internet são a principal opção, já que o contato pessoal entre médico e paciente pode acabar piorando a situação do doente. Além disso, terapias em grupo ou cognitivo-comportamental também podem ajudar.

Outra alternativa são atendimentos feitos em ambientes menos características da rotina médica, como consultórios mais confortáveis e casas adaptadas para centros de saúde.

Por fim, é importante que o médico conheça sempre a realidade antes de realizar o atendimento e evite uso de roupas e acessórios que provoquem reações aos pacientes.

André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto é especialista em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC). É CEO do Clínica nas Nuvens, um software médico online completo para o gerenciamento de clínicas e consultórios.

1 Comentário

  1. Cristiano Agosti
    15 de junho de 2016 às 14:38 · Responder

    Muito interessante o assunto aos poucos esse preconceito vai diminuir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *