Sistema online completo
para clínicas e consultórios
O que fazer quando a profissão sobrepõe a vida pessoal?

O que fazer quando a profissão sobrepõe a vida pessoal?

Conciliar trabalho e vida pessoal está se tornando uma tarefa cada vez mais difícil. Do mesmo modo, separar uma coisa da outra também é praticamente impossível. Como, então, conseguir o equilíbrio entre esses dois extremos e não deixar que nenhum deles seja prejudicado?

A resposta para esse dilema é, certamente, difícil de ser encontrada. Tanto que, segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos em sete países, com 2.252 pessoas, o Brasil é o segundo no ranking de nações onde os trabalhadores mais atrelam vida pessoal e profissional.

E, o que mais chama a atenção, é que 83% dos brasileiros entrevistados tem um olhar positivo sobre essa relação. Ou seja, consideram benéfico o fato de não separar a agenda e as tarefas do trabalho dos “momentos de folga”.

Saber conciliar as duas coisas até pode ser bom, o problema é quando a profissão sobrepõe a vida pessoal, situação bastante em muitas áreas, entre elas a medicina. Com uma rotina bastante agitada, muitos médicos (as) costumam dedicar boa parte do tempo ao trabalho, “deixando de lado” esposa (marido), filhos e amigos.

O que fazer quando isso acontecer?

O primeiro passo é aceitar que você está vivenciando essa situação. Muitos até são alertados pelos familiares sobre o problema, mas costumam fingir que nada está acontecendo. Usam desculpas para tentar justificar a ausência e estão sempre tentando contornar a situação.

Se você se identificou com as afirmações acima, está na hora de rever algumas atitudes. Ninguém está livre de ficar sobrecarregado no trabalho e acabar dedicando mais tempo para tal, o que precisa ser evitado é que isso aconteça o tempo todo.

Sendo assim, quando perceber o problema, pare para analisar e repensar suas rotinas diárias. A solução pode ser mais simples do que você imagina. Reorganize horários, ajuste a agenda e defina momentos diferentes únicos e exclusivos para descanso e lazer.

Se identificar que está muito atarefado, abra mão de alguns plantões ou de algumas horas de serviço. Esse tempo livre vai ajudar (e muito) na sua vida pessoal, principalmente quando ela envolver relações familiares.

Encontre o caminho da felicidade!

Carregar laptops e smartphones para ficar “conectado” ao trabalho em casa, nos finais de semana ou nas férias não é nenhum crime, mas certamente nem tão vantajoso assim. Visto que o trabalho de muitos médicos costuma ser cercado por coisas nem tão boas – como doenças, feridos e tratamentos – ter algum tempo para espairecer pode ser muito bom.

É preciso renovar as energias, aproveitar momentos de qualidade com pessoas que lhe fazem bem e, ao mesmo, estar realizado e satisfeito com o trabalho que você está desenvolvendo. São duas coisas distintas, mas que acabam se complementando. Entenda que não é preciso escolher entre a vida pessoal ou profissional, mas entre ser feliz ou infeliz.

Ficou interessado no assunto? Então, leia mais sobre o tema no post “3 dicas simples (e eficientes) de como conciliar vida pessoal e profissional“.

André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto é especialista em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC). É CEO do Clínica nas Nuvens, um software médico online completo para o gerenciamento de clínicas e consultórios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *