Sistema online completo
para clínicas e consultórios
Como preparar o paciente para receber uma notícia ruim

Como preparar o paciente para receber uma notícia ruim

Entre muitas coisas que os profissionais da saúde não aprendem na graduação, está o como lidar com situações singulares que vão além do conhecimento técnico e específico.

Isso acontece porque essas situações estão mais ligadas a questões de relacionamento e de empatia e, na condição de ser algo subjetivo, de fato, não é uma situação que possa ser ensinada.

Estudos já foram desenvolvidos sobre a eficácia do protocolo Spikes. Apesar de parecer um pouco mecânico, considerando a peculiaridade da situação, ele pode ser um modelo a ser seguido e adaptações referentes ao cenário em questão devem ser realizadas, aumentando suas chances de sucesso.

O que é o protocolo Spikes?

Em resumo, o protocolo Spikes é um passo a passo sobre como agir em caso de informação de más notícias. O objetivo é minimizar o quadro clínico do paciente ao receber um diagnóstico desfavorável à sua saúde.

O nome Spikes vem das iniciais de cada etapa: Setting up; Perception; Invitation; Knowledge; Emotions; Strategy and Summary.

Etapas do protocolo Spikes

Traduzidas do inglês, as etapas do protocolo visam à preparação, ao momento da informação e, por fim, ao pós-notícia.

1º passo (Setting up): Preparação para o encontro;
2º passo (Perception): Análise do paciente;
3º passo (Invitation): Convite para o diálogo;
4º passo (Knowledge): Transmitindo a informação;
5º passo (Emotions): Expressando emoções;
6º passo (Strategy and Summary): Resumindo e organizando estratégias.

Como falamos anteriormente, esse é um roteiro que pode ser utilizado pelo médico. Mas, uma pré-análise da situação, considerando a situação do paciente e, até mesmo, de seus familiares, deve ser considerada.

Além disso, é essencial que a notícia esteja acompanhada de sugestões como grupos de apoio, sessões com psicólogos, bem como informações mais aprofundadas sobre a doença e também sobre o andamento do tratamento.

Quanto mais seguro o paciente se sentir e quanto mais ele puder confiar em você, melhor ele reagirá à notícia e mais forças encontrará para superar aquele momento. Muitos pacientes também precisarão de um tempo para entender melhor e respeitar esse momento e o seu silêncio também é primordial.

Por fim, é válido lembrar que a preparação do médico para noticiar a informação influencia diretamente na recepção da mesma pelo paciente e por seus familiares e acompanhantes. Muito além do que a teoria dita, é preciso tato para compreender a situação e então se posicionar.

Gostou desse texto? Então, leia também Entenda a importância da honestidade e da ética na relação médico-paciente.

André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto é especialista em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC). É CEO do Clínica nas Nuvens, um software médico online completo para o gerenciamento de clínicas e consultórios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *