Sistema online completo
para clínicas e consultórios
5 dicas para sua clínica ou consultório estar sempre em dia com o Imposto de Renda

5 dicas para sua clínica ou consultório estar sempre em dia com o Imposto de Renda

Profissionais de medicina não são isentos da dentada do leão. Em 2016, o período de entrega do Imposto de Renda vai do dia 1 de março até o final de abril, e médicos que possuem suas próprias clínicas e consultórios devem fazer a declaração.

A declaração de Imposto de Renda para médicos vai passar por algumas alterações nesse ano, então é preciso se atualizar e se organizar mais para não ter problemas na hora de entregar a documentação. Se você está precisando de ajuda para se preparar para isso, confira algumas dicas que vão ser fundamentais na hora de se adequar às exigências do imposto de renda.

1. Organize-se desde já

Apesar de a declaração ter um prazo de 2 meses para ser feita, isso não significa que ela possa ser deixada para última hora. Problemas podem surgir, documentos podem não ser encontrados ou pode acabar não dando tempo no final. Portanto, procure se antecipar para organizar suas finanças e as do consultório o quanto antes.

O ideal é fazer isso ao longo do ano para facilitar o trabalho, porém ainda dá tempo de começar. Cuide das notas fiscais, da movimentação financeira e dos pagamentos de cliente para que tudo dê certo.

2. Utilize o rascunho de declaração de Imposto de Renda

Uma ótima forma de se organizar ao longo do ano é usado o aplicativo de rascunho do Imposto de Renda da Receita Federal. Com ele, é possível registrar dados fiscais em tempo real até a época de fazer a declaração. O rascunho oferece uma série de funcionalidades que vão ajudar o médico a entender melhor como deve fazer seu registro e quais informações deve registrar.

O melhor é que é possível utilizá-lo no seu celular! Você pode baixar o aplicativo no site da Receita.

3. Lembre-se de registrar o CPF dos clientes

Uma das principais determinações do Fisco em relação a consultórios e clínicas médicas é que deve ser feito o registro do CPF dos clientes de cada consulta. Isso acontece porque pessoas físicas podem incluir notas fiscais de despesas médicas para conseguir deduções em seus Impostos de Renda e, como o médico não precisava fazer um registro tão rigoroso, muitos contribuintes caíam na malha fina e tinham que comprovar seus gastos nas unidades da Receita Federal.

Portanto, segundo orientações do Fisco, médicos devem registrar os valores pagos e o CPF de seus pacientes. É possível incluir essas informações no carnê Leão mensalmente ou na declaração de Imposto de Renda em 2016. Escolha o modelo ideal para seu consultório, mas não deixe esse quesito de lado!

4. Evite multas e prejuízos

A declaração do Imposto de Renda é uma obrigação do seu consultório com o governo, então não brinque com isso. Existem multas para quem faz a entrega fora do prazo ou deixa de entregar, que podem ir de R$165,74 até 20% do imposto. Erros na declaração podem acabar gerando problemas também. Portanto, antecipe sua organização e evite que o prazo seja ultrapassado.

5. Procure um especialista

Outra alternativa válida é que o médico procure um serviço especialista em Imposto de Renda, que poderá auxiliá-lo a entender melhor o processo, facilitar a organização e evitar erros e atrasos.

E você, já começou a se preparar para a declaração do Imposto de Renda para médicos? Lembre-se que seu consultório ou clínica pode sempre contar com a ajuda do Clínica nas Nuvens para organizar suas finanças!

Se você tem alguma outra dica de como profissionais de medicina podem se preparar para o Imposto de Renda, compartilhe com a gente nos comentários!

André Luiz Forchesatto

André Luiz Forchesatto é especialista em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC). É CEO do Clínica nas Nuvens, um software médico online completo para o gerenciamento de clínicas e consultórios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *